7 de novembro de 2017

Suspensa a eleição on-line nos Conselhos de Contabilidade

Conforme noticiado no Jornal do Comércio de 3/11, na p. 6, a Desembargadora do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), Dra. Vânia Hack de Almeida, entendeu como procedente o questionamento apresentado pela Confederação dos Profissionais Contábeis do Brasil sobre a segurança da votação eletrônica dos Conselhos Regionais de Contabilidade.

De acordo com a decisão judicial, os conselhos regionais deverão utilizar o mesmo sistema de votação do TSE ou mesmo as cédulas em papel, por entender que o sistema on-line utilizado não proporciona a ampla e efetiva fiscalização aos filiados, tampouco apresenta um “lacre” de proteção que proteja o sistema contra a manipulação de dados, tendo ficado demonstrada a sua vulnerabilidade.

Recomenda, ainda, que o Conselho amplie o sistema de fiscalização para as próximas eleições eletrônicas, seja pela regionalização ou com o custeio das despesas dos seus filiados na capital federal durante a realização do pleito.

Trabalhar pela ampliação do campo de trabalho dos profissionais contábeis


A profissão contábil possui uma série de atividades protegidas por lei. São atividades privativas do Contador. Para que o profissional usufrua deste direito é preciso que o órgão de defesa da profissão aja no sentido de proteger este campo e dê divulgação sobre a importância destas atividades. 

Partindo da premissa de que todas as pessoas jurídicas precisam de contabilidade, será promovida uma campanha de esclarecimento público sobre a importância de se ter contabilidade, sobre a importância da auditoria e da perícia contábil serem executadas por Contador (uma vez que são funções privativas dos contadores), sobre a importância do conselho fiscal ser assessorado por Contador, da contabilidade dos condomínios prediais ser executada por profissional contábil, das câmaras municipais possuírem departamento de auditoria para auditar as contas dos órgãos municipais, e etc. 

Será desenvolvido, ainda, um trabalho orientação pública, especialmente junto ao Poder Judiciário, para desestimular o avanço das outras profissões sobre as atividades do Contador, tanto no âmbito privado como no público. Agiremos com rigor para tirar os leigos que atuam no mercado de trabalho dos profissionais contábeis. Além de movimentar outras medidas, que dependerão de alteração legislativa.

 

Nos dias 21 e 22 de novembro, Vote Chapa 2!

 

Contador Salézio Dagostim
Coordenador da Chapa 2

1 de novembro de 2017

Por mais ética no Conselho de Contabilidade

Quando se fala em ética, fala-se em comportamento, em conduta, em valores que motivam as ações de um indivíduo ou de um grupo. Já legal é uma ação estabelecida, sancionada, dentro das normas escritas do fazer e do não fazer. Mas, por vezes, entre o ético e o legal há uma distância que precisa ser percorrida para que se entenda o funcionamento de algumas coisas, ou para que se faça justiça.
 
Veja o que vem ocorrendo no pleito que irá renovar 2/3 do Plenário do Conselho Regional de Contabilidade do Rio Grande do Sul: A Vice-Presidente do CRCRS, que está concorrendo à reeleição, tem usado a estrutura da entidade para participar de encontros profissionais promovidos pela própria entidade e pedir votos.  

A questão que se levanta: É ético este tipo de conduta? Algumas pessoas argumentam que é legal, porque a resolução que regula as eleições, norma criada pelo próprio Conselho, não proíbe tal ato. Contudo, usar da estrutura administrativa do órgão público para dele obter vantagens é eticamente inadmissível. Além disso, fere os princípios da isonomia, da igualdade e da moralidade, princípios basilares da administração pública.

É importante registrar que uma profissão só cresce quando se dá a ela o devido destaque e quando os atos praticados pelos dirigentes do seu Conselho forem exercidos com ética, já que a profissão não pertence aos seus dirigentes, mas a todos que nela atuam e que dela necessitam, neste caso, os agentes econômicos e sociais, e, sobretudo, a sociedade, que necessita da Contabilidade para manter as pessoas jurídicas sadias, pois são elas que geram emprego e renda e que pagam tributos.

Se os contadores e técnicos contábeis quiserem ver a sua profissão prosperar e seu trabalho mais valorizado, precisam saber distinguir entre ações montadas para angariar votos apenas (para a atual direção continuar gastando os 28 milhões de reais arrecadados por ano em ações que pouco ou nada agregam de útil à profissão) e ações que irão valorizar a profissão e resgatar a dignidade dos seus profissionais.

Neste momento, quem decidirá o futuro da profissão é o profissional contábil. O resultado será apurado no momento de validar o seu voto, nos dias 21 e 22 de novembro, ao acessar o site das eleições.

O que a Chapa 2 - CRCRS almeja é ver a profissão valorizada e atuando com ética, para elevar os propósitos dos profissionais contábeis junto aos tomadores de serviços e à sociedade.

31 de outubro de 2017

Fiscalização preventiva da profissão: Disponibilizar serviços ao profissional

Fiscalizar o exercício profissional, para os membros da Chapa 2 CRCRS, não se limita a verificar se o profissional está atuando de forma ética e legal, mas envolve medidas como atuar na proteção do campo de trabalho dos contadores e dos técnicos em contabilidade contra o avanço de leigos, criando mecanismos de proteção para o campo profissional; e manter uma estrutura que ofereça condições para que o profissional execute bem as suas tarefas e que esteja atualizado, a par dos procedimentos técnicos; entre outras medidas.

Com base nestas medidas e na fiscalização preventiva, os membros da Chapa 2, que concorrem às eleições do CRCRS deste ano, incluíram uma série de ações em seu plano de trabalho. Entre elas, a Chapa 2 irá disponibilizar aos profissionais:

- Um departamento de consultoria, para esclarecer as dúvidas contábeis, fiscais e tributárias encontradas em suas atividades diárias;- Um informativo contábil/fiscal/tributário básico, para orientar os profissionais sobre as mudanças legislativas e procedimentos legais;
- Um gabinete de apoio institucional para os profissionais em trânsito, a fim de solucionar pendências junto aos setores públicos.

Além destas ações, os membros da Chapa 2 irão mudar o modelo dos cursos oferecidos aos profissionais, que passarão a ter caráter gratuito e terão por objetivo o aprendizado na prática, com atenção especial aos profissionais do interior, voltados ao aprimoramento do conhecimento e à recolocação dos colegas no mercado de trabalho.

Assim, com ações centradas em fornecer suporte ao profissional contábil, a categoria terá em seu Conselho um grande aliado, que efetivamente oferecerá serviços úteis, prestando a assessoria que a profissão tanto necessita para o seu desenvolvimento e valorização. 

Nos dias 21 e 22 de novembro, Vote Chapa 2!


Contador Salézio Dagostim
Coordenador da Chapa 2

27 de outubro de 2017

Departamento de Consultoria para os profissionais contábeis


Prevenir uma ação que poderá trazer más consequências para o profissional e o tomador de serviços é uma forma de promover a fiscalização preventiva.

O novo Conselho dirigido pelos membros da Chapa 2 irá disponibilizar aos profissionais contábeis um Departamento de Consultoria para esclarecer as dúvidas que eles tiverem no exercício das suas atividades.

VOTE CHAPA 2 e você terá a oportunidade de ver como se deve gerir um Conselho de Contabilidade para fazer da profissão uma carreira mais valorizada e dar mais proteção aos seus profissionais.


Nos dias 21 e 22 de novembro, VOTE CHAPA 2!


Contador Salézio Dagostim
Coordenador da Chapa 2